sábado, 18 de agosto de 2012

Sem título.



  E agora, Amadeu?
A cozinha é um silêncio gritante
A vida, já não sei se amadureceu
O impulso da diferença findou
Amadeu, não vivo mais, espante!
Era metáfora, modificaram-me à catacrese
Perdi o gingado, o samba, o dom...
Ah, humanos!
Dê fim ao meu aborrecimento!
E ceder o meu ínfimo lugar,
A um grande estacionamento.

OLIVEIRA, L. (Ninguém de interessante).